“Quando o mundo inteiro está em silêncio, até mesmo uma voz se torna poderosa.”

Malala Yousafzai

Uma em cada cinco crianças vive em pobreza extrema.
Todos os dias, aproximadamente 152 milhões de crianças são levadas a exercer trabalho infantil.
Devido ao Covid-19, 370 milhões de crianças estão sem o único suprimento que possuíam: merenda escolar.

E entre tantos problemas, jovens em todos os cantos do mundo levantam soluções.

Ontem, dia 13 de Novembro (sexta-feira), foi apresentada a décima sexta cerimônia de premiação de crianças e adolescentes que pregam mudanças para um futuro melhor: o International Children Peace Prize 2020, ou Prêmio Internacional da Paz Infantil em tradução livre. Perante a pandemia, a realização do evento sofreu algumas adaptações para manter as normas de segurança estabelecidas pela OMS.

Lançado em 2005 pela organização KidsRights (Direitos da Criança) durante a Cúpula Mundial de Prêmio Nobel da Paz em Roma, o prêmio tem sido entregue todos os anos a jovens ativistas que lutam por um mundo saudável. O International Children Peace Prize é uma iniciativa de Marc Dullaert, Presidente e Fundador da Fundação KidsRights.

Esse ano, a premiação ocorreu em Haia, cidade localizada na região norte da Holanda. O vídeo de abertura, acompanhado de uma suave melodia clássica, trouxe a voz ativa de crianças e ativistas de diferentes gerações, todos juntos pela mesma causa. Orquestras de outros cantos do mundo também se apresentaram ao decorrer da cerimônia para tocar corações mesmo à distância, o que definitivamente foi um sucesso para quem assistia de casa.

O vencedor do prêmio recebe a estatueta ‘Nkosi’, que mostra como uma criança só consegue por o mundo em movimento. Essa estatueta desenhada por Inge Ikink tem o nome do primeiro vencedor do prêmio infantil da paz, Nkosi Johnson (1989-2001). Nkosi tinha apenas 12 anos quando morreu devido a complicações da HIV com a qual convivia desde o nascimento em Joanesburgo, África do Sul, mas sua luta pela conscientização à doença reverberou a medida que seu ativismo cresceu até seus últimos dias.

A geração do futuro começa hoje

De todos os indicados desse ano, o trio nomeado para a fase final consistia de jovens especiais que vêm mudando a região em que vivem com pura força de vontade.

“Estou maravilhado com essas crianças, cuja mensagem poderosa é amplificada por sua energia juvenil e uma crença inabalável de que as crianças podem melhorar seu próprio futuro.”
Arcebispo Desmond Tutu, patrocinador da premiação há 12 anos

IVANNA ORTEGA SERRET (12 ANOS, MÉXICO)
Ivanna mora na Zona Esmeralda em Atizapan de Zaragoza, Estado do México. Incomodada com a sujeira na barragem de sua cidade, a jovem iniciou uma petição no Change.org para pedir às autoridades que dessem um jeito na poluição da água para o bem da flora, da fauna e dos próprios humanos que moravam nas proximidades. Com isso, ela conseguiu coletar 69 mil assinaturas para sua petição. Devido à conscientização que Ivanna levantou ao coletar as assinaturas, o governo decidiu destinar 21 milhões de pesos para a limpeza da barragem.

SIENA CASTELLON (18 ANOS, IRLANDA)
Siena possui várias dificuldades de aprendizagem, o que a levou a ter uma experiência educacional muito desafiadora. Chegou a mudar de escola devido a deficiência e sofreu bullying relacionado ao autismo. Aos 13 anos, Siena criou um site (Quantum Leap) para orientar alunos autistas com dificuldades de aprendizagem. Em novembro de 2018, ela lançou sua campanha Neurodiversity Celebration Week (Semana de Celebração da Neuro divergência), que incentiva as escolas a reconhecerem os talentos de crianças com necessidades especiais em vez de se concentrarem em suas fraquezas e dificuldades.

SADAT RAHMAN (17 ANOS, BANGLADESH)
Sadat é um jovem ativista e inovador social de Bangladesh, India. O suicídio de uma menina de 15 anos devido ao cyberbullying o levou a agir diretamente na solução do problema. Acompanhado de seus amigos, Sadat fundou uma organização social chamada Narail Volunteers. Juntos, eles criaram o aplicativo ‘Cyber ​​Teens’, onde adolescentes podem aprender a navegar pela internet com mais segurança. Cerca de 1.800 adolescentes de Bangladesh têm usado o aplicativo ativamente, enquanto mais de 300 reclamações foram resolvidas e 8 criminosos cibernéticos foram levados à justiça. Sadat também alcançou mais de 45 mil jovens com seminários sobre segurança na Internet em escolas e faculdades.

Um prêmio de todos

“A escolha do vencedor foi unânime”, disse Mpho Tutu Van Furth, filha de Desmond Tutu e fundadora da Desmond & Tutu Legacy Foundation. Van Furth também trouxe luz para as consequências da pandemia em seu forte discurso sobre a projeção da voz infantil.

“Amadurecer é difícil e cansativo, ninguém deveria fazer isso o tempo todo, mesmo os adultos, mas alguns deveriam fazer um pouco mais” disse ela, referindo-se à falta de interesse vista em adultos que deveriam estar lutando por nossas crianças.

Jovens como Ivanna, Siena e Sadat estão se tornando adultos antes do tempo.

O legado da premiação envolve grandes nomes como Malala Yousafzai, Greta Thunberg, Divina Maloum, a brasileira Mayra Avellar Neves e muitos outros que ainda estão por vir.

Sadat Rahman, 17 anos, recebendo o troféu da paz infantil por seu projeto anti cyberbullying

O vencedor desse ano foi Sadat, que recebeu o prêmio Nkosi de forma simbólica e à distancia das mãos de Malala Yousafzai, que venceu não só a premiação de 2013 como o Prêmio Nobel da Paz em 2014.

Em seu discurso, Sadat se denominou um guerreiro que luta uma guerra pelo futuro de sua geração. 1 em cada 3 jovens sofre cyberbullying, e poucos possuem auxílio como aquele oferecido em seu aplicativo.

“Se eu posso ser uma solução moderna para um problema moderno na Índia, então por que você não pode?”

O jovem ativista possui planos para expandir ainda mais o alcance de seu projeto, e isso não será problema para futuros investimentos. Além do troféu, o vencedor também recebe uma bolsa de estudos e uma plataforma mundial para promover seus ideais e causas em benefício dos direitos das crianças. Além disso, um fundo de 100 mil euros é investido pela KidsRights em projetos que estão intimamente ligados à área de atuação do vencedor.

A cerimônia alcançou 50 mil pessoas no mundo inteiro, provando não ser só uma premiação, e sim uma exposição com o propósito de espalhar esperança globalmente. A luta pode até começar cedo, mas ela é longa, e apoiá-la hoje pode garantir a todos um amanhã de respeito.

“Nosso planeta precisa de pessoas mais compassivas.”

De fato, o mundo poderia usar mais Sadats que encaram com determinação a batalha que os mais velhos evitam. Por isso, desejamos força para as crianças que serão os adultos do amanhã e sabedoria aos adultos que trarão ao mundo as crianças do amanhã.

A premiação encerrou com a canção All You Need is Love dos Beatles, reafirmando a maior necessidade da nossa sociedade como um todo: tudo o que precisamos é de amor.

Agradecimento especial: State of Youth
Informações: KidsRights.Org
O 9noandar parabeniza todos os indicados pela premiação, em especial Sadat Rahman, o grande vencedor do ano.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s