Quando ouvimos uma história, não sabemos ela completa, apenas o que é passado para nós. E isso acontece quando estamos falando de histórias baseadas em fatos reais. No caso de DOM“, nova série brasileira original Amazon Studios, temos o conhecimento da história de Pedro Machado Lomba Neto, o Pedro Dom.

Pedro, conhecido nos jornais pelos apelidos de ‘bandido fashion’ e ‘bandido gato’, invadia prédios e casas da alta sociedade do Rio de Janeiro junto de seu grupo de amigos para praticar assaltos no início dos anos 2000.

Mas não é bem este lado da história que o diretor Breno Silveira conta na série “DOM”. Breno consegue mostrar o lado humanizado na vida de Pedro e sua família em poucos capítulos iniciais.

Para conseguir trazer estes e outros detalhes à tona, o diretor conversou com o próprio pai de Pedro, Victor Dantas.

“Foi muito chocante ouvir a história dele. No começo, senti que era uma história importante de ser contada. Nós não estamos falando só sobre uma história de tráfico e cocaína, a gente está falando da entrada da droga no Brasil e como ela modificou as famílias”, conta Silveiro.

Segundo o diretor, Victor, um ex-policial civil aposentado, sofria ao ver seu filho sendo retratado como um menino de classe média alta que praticava assaltos, dito muitas vezes como violentos pelas vítimas, e que estava envolvido com drogas.

O que esperar de “DOM”

A série acompanha duas vidas paralelas que se entrelaçam pela maior força que existe: o amor.

Além disso, a produção passa por duas décadas: a de 70 e 2000. Em 1970, época da Ditadura Militar, somos apresentados a um Victor jovem, mergulhador, que acaba sendo contratado por um departamento secreto de combate às drogas. Assim, Victor se infiltra em uma comunidade para investigar a chegada da cocaína no Rio de Janeiro e, consequentemente, no Brasil inteiro.

Em seguida, de uma forma que ninguém esperava, ele acaba se juntando com o chefe do tráfico local para conseguir mais informações.

Já nos anos 2000, acompanhamos a vida de Pedro, filho de Victor. Somos apresentados desde à sua infância, quando teve o primeiro contato com a cocaína, até à fase adulta. A partir daí, assistimos à luta do menino e do pai no combate a droga.

Entre internações em clínicas de reabilitação e recaídas, Pedro vivia se metendo em confusões, mas sempre se livrava por ter um pai policial.

Victor fazia o possível para que o filho não fosse responsabilizado na tentativa de fazer com que o menino mudasse de vida. Porém, o limite o alcançou quando teve que levar seu filho até a FEBEM, onde Pedro ficou preso.

Com a visão do diretor, DOM nos mostra as dificuldades que o tráfico de drogas impõe na vida das famílias e da sociedade. Em um momento, o espectador pode ficar confuso com a forma que a história é contada, no formato não-linear. A adaptação é feita aos poucos, quando o quebra-cabeça vai se encaixando.

Conforme os episódios vão sendo exibidos, entendemos que o não-linear também é uma peça fundamental para que a história seja contada de forma certeira.

Além da direção energética, “DOM” conta com um elenco brilhante, com Flavio Tolezani e Filipe Bragança interpretando Victor Dantas em sua fase adulta e jovem, respectivamente. Contamos também com Gabriel Leone interpretando Pedro Dom na adolescência e na fase adulta. Raquel Villar, Isabella Santoni, Laila Garin, Fábio Lago e Ramon Francisco completam o elenco de peso.

Uma das cenas mais tocantes fica a cargo do ator Ramon Francisco, que interpreta o melhor amigo de infância do protagonista, onde mostra a dura realidade de muitas famílias que convivem com o vício das drogas.

Os atores Gabriel Leone e Flavio Tolezani também nos entregam cenas de muita emoção e resiliência.

Pôster “DOM”: Divulgação/Amazon Studios

A série “DOM” na prática

A história contada por Breno Silveira é forte, impactante e te faz pensar sobre até onde o ser humano pode ir para proteger aqueles que ama e com que armas pode lutar contra algo que corrói sua vida e a vida de quem está ao seu lado.

Com uma produção dessas, fica possível fazer com que o público tenha essas indagações. São episódios recheados de ação, drama, suspense, aventura e tudo que um bom thriller tem para oferecer.

O diretor conseguiu fazer com que cada ator tivesse seu holofote, com personagens muito bem construídos, sem focar em quem é o vilão e quem é o herói: apenas em pessoas normais, com seus defeitos e qualidades.

Antes de terminar, porque já me alonguei demais, tenho que te alertar o seguinte: a série “DOM” é forte, mostra o uso de drogas em grande quantidade e tem cenas impactantes. Os oito episódios, com cerca de 1 hora de duração cada, são demorados mas não monótonos [ainda bem] e, se você gosta de série de tirar o fôlego, pode sim dar uma chance!

Ademais, é uma produção brasileira. Vamos apoiar o audiovisual brasileiro, combinado? Existem muitas produções incríveis e “DOM” é uma delas.

A série estreou no streaming da Amazon Prime Video no dia 04 de junho.

*Por Victoria Capaldo

*O 9noandar assistiu a série antes de sua estreia e foi convidado pela Amazon Prime Video a participar da coletiva de imprensa com o diretor e elenco*

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s